Diversidade sexual e homofobia no Brasil
Editora Fundação Perseu Abramo lança novo título com pesquisa
de opinião pública e reflexões sobre a temática LGBT e a homofobia.
 

No mês Internacional do Orgulho LGBT, a Editora Fundação Perseu Abramo (EFPA) lança o título “Diversidade sexual e homofobia no Brasil”. A publicação é resultado da pesquisa “Diversidade Sexual e Homofobia no Brasil – Intolerância e Respeito às Diferenças Sexuais”, realizada no ano de 2009, em parceria com a fundação alemã Rosa Luxemburg, sob coordenação do Núcleo de Opinião Pública (NOP) da Fundação Perseu Abramo.

Em um período histórico pontuado pelo debate sobre os Direitos Humanos, contrapondo-se a recente inversão nos discursos conservadores e reacionários da sociedade, o livro aborda as questões da homofobia. Cidadãs e cidadãos do Brasil, hetero, homo e bissexuais, redimensionam o debate sobre temas como intolerância às diferenças, identidade de gênero, orientação sexual, exposição e a construção da personagem LGBT na mídia.

Partindo da opinião pública para a esfera da análise e da intelectualidade, militantes, estudiosos e pesquisadores ligados ao tema LGBT e sexualidade foram convidados a interpretar panoramas e revelações da pesquisa, como a questão da homofobia e da permanência do preconceito, da discriminação e da violência homofóbica entre os brasileiros.

Organizados pelos pesquisadores Gustavo Venturi e Vilma Bokany, treze artigos evidenciam as necessidades com medidas de políticas públicas. Na prática, apesar das conquistas efetivadas, os textos denotam a negação do exercício da cidadania plena a uma parcela significativa da sociedade brasileira, seja na área da saúde, educação e outros direitos constituídos.

Para além dos dados: a interpretação dos resultados

De caráter multitemático, os artigos se debruçam sobre as perspectivas dos dados, a conjuntura nacional, os fatos e os apontamentos para as conquistas de equiparidades. No primeiro artigo, Julian Rodrigues, coordenador nacional do Setorial LGBT do Partido dos Trabalhadores (PT), situa a luta pelo reconhecimento da diversidade sexual e dos direitos LGBTs na história ocidental, com a ampliação da noção de direitos humanos. A ênfase recai sobre o regime democrático brasileiro, as exclusões e a importância da laicidade no Estado.

Escritora, cantora e ativista pelas lutas das mulheres, Vange Leonel reflete em “Lesbofobia” sobre as pautas dos discursos machistas, patriarcais, lesbofóbicos e misóginos. Assunto recorrente da mídia, as transexuais e travestis ganham destaque nos textos “Transexuais: identidade e cidadania”, de Elizabeth Zambrano, e “Travestis: entre a atração e a aversão”, de Keila Simpson.

“No artigo: ‘Viver sob ameaça: preconceito, discriminação e violência homofóbica no Brasil’, de Sérgio Carrara e Paula Lacerda, observamos a tendência à intolerância entre homens heterossexuais jovens – contrariando a expectativa de maior compreensão da juventude em relação a questões que envolvem valores morais – e apontam contradições na visão da opinião pública sobre a homossexualidade, as quais sugeririam a conformação de uma espécie de ‘ética particular’ que, oscilando entre considerá-la uma falha moral e uma doença, tende a tolerá-la desde que confinada a quatro paredes”, pontuam Gustavo Venturi e Vilma Bokany, organizadores do livro.

Lula Ramires em “Homofobia na escola: o olhar de um educador social do movimento LGBT” discute o papel do corpo docente em relação à preconização do preconceito e do bullyng nas escolas. O título ainda é composto pelos artigos “Identidade de gênero, orientação sexual e vulnerabilidade social: pensando algumas situações brasileiras”, de Fernando Seffner, “Homofobia, hierarquização e humilhação social”, por Marco Aurélio Máximo Prado e Rogério Diniz Junqueira, “A intersecção dos conjuntos: gays e lésbicas negras em confronto com as hegemonias e sub-hegemonias”, de Robenilton dos Santos Luz, “Prevenção ao HIV/AIDS, estigmatização e vulnerabilidade”, assinado por Gabriela Calazans, “Presença LGBT na mídia”, de Léo Mendes, “Legislação brasileira e homofobia”, sob a autoria de Maria Berenice Dias.

Em “Da construção dos dados à cultura da intolerância às diferenças”, artigo que fecha o livro, o pesquisador e organizador Gustavo Venturi, antecede o Anexo com a síntese dos principais resultados da pesquisa, realizando um comparativo entre as já realizadas e novas possibilidades de abordagens. No anexo de 64 páginas coloridas, a seleção traz 109 quadros com tabelas e gráficos.

A pesquisa está disponível no Portal da Fundação Perseu Abramo:http://migre.me/4EEL3

.

Editora Fundação Perseu Abramo e a Diversidade Sexual

Nascida do desejo e do objetivo em aprofundar o conhecimento sobre a sociedade brasileira, suas transformações e especificidades históricas, a Editora da Fundação Perseu Abramo desde a sua fundação, verbaliza e propõe o debate sobre a questão da identidade de gênero, da orientação sexual, da diversidade e da luta das minorias contra o preconceito e a exclusão do papel de cidadania e garantia de direitos.

Destaque para ”Na trilha do arco-íris – Do movimento homossexual ao LGBT”, de Júlio Assis Simões e Regina Facchini, lançado no ano de 2009. Vencedor no quesito literatura do 10º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, promovido Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT) em 2010, o livro narra uma trajetória de vitórias e desafios desde a década de 1970, para a implantação de políticas e direitos aos LGBT.

“O negócio do michê: a prostituição viril em São Paulo”, de Néstor Perlongher, lançado em 2008, merece atenção na abordagem do assunto, sob a perspectiva das densidades sociais.


>
Ficha técnica:
Título: “Diversidade sexual e homofobia no Brasil”
Organizadores: Gustavo Venturi e Vilma Bokany
Ano: 2011 – número de páginas: 252 – ISBN: 978-85-7643-084-1
Valor: R$ 45,00


 

>
Os organizadores
 

Gustavo Venturi
Gustavo Venturi é professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), é assessor científico ad-hoc do Núcleo de Opinião Pública (NOP) da Fundação Perseu Abramo.

Vilma Bokany
Vilma Bokany é graduada em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e pós graduanda em Psicologia Política (EACH-USP), é também analista do NOP.

 

>
Editora Fundação Perseu Abramo:
 

Fundada em 1997, a Editora é um espaço para o desenvolvimento de atividades de reflexão político-ideológica, estudos e pesquisas, destacando a pluralidade de opiniões, sem dogmatismos e com autonomia. Conta com mais de 180 livros em catálogo. Website: www.efpa.com.br – twitter:@editora_perseu

Fundação Perseu Abramo: Completando 15 anos de existência neste ano, é um espaço para o desenvolvimento de atividades de reflexão político-ideológica, estudos, pesquisa e formação política. Criada em 1996 pelo Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), a Fundação realiza pesquisas nacionais sobre temas de interesse da sociedade, publica livros e revistas que traduzem o pensamento de esquerda e progressista. Mantém o acervo histórico do PT e da esquerda, realiza seminários e debates em todo o país e em eventos internacionais, mantém relações com instituições do Brasil e do exterior. Por meio de seu Núcleo de Opinião Pública (NOP), a Fundação já realizou, entre outras, pesquisas sobre Cultura Política e Cidadania, Juventude, Idosos, Mulheres, Racismo e Homofobia.
Portal www.fpabramo.org.br

 

 

>
Fundação Rosa Luxemburg (Rosa Luxemburg Stiftung – RLS):

Fundada na Alemanha em 1990 e, desde 1992, é uma fundação política próxima ao antigo Partido do Socialismo Democrático (PDS), hoje o Partido de Esquerda (Die Linke). Os princípios que orientam o trabalho da Fundação estão fundados nas ideias do socialismo democrático, internacionalismo, antifascismo e antirracismo.